Você está aqui: Página Inicial > Conteúdo > Prevenção > Planejando Prevenção

Planejando Prevenção

Programas de Família

PRINCÍPIO 5

Planejando Prevençãoentrada

  • Programas de prevenção baseados na família devem reforçar o vínculo e as relações familiares e incluir as habilidades parentais: prática no desenvolvimento, discussão e aplicação de políticas familiares sobre o abuso de substância e treinamento em educação e informação sobre drogas.

  • O vínculo familiar é o alicerce do relacionamento entre pais e filhos. O vínculo pode ser reforçado através de treinamento de habilidades no apoio dos pais aos filhos, na comunicação entre pais e filhos e no envolvimento dos pais.
  • Acompanhamento e supervisão dos pais são fundamentais para a prevenção do abuso de drogas. Essas habilidades podem ser melhoradas com treinamento no estabelecimento de regras, técnicas para monitoramento das atividades dos filhos, reforço para comportamento adequado e disciplina moderada e consistente para o cumprimento das regras familiares definidas.
  • Educação e informação sobre drogas para os pais ou cuidadores reforçam o que as crianças estão aprendendo sobre os efeitos nocivos das drogas e abrem oportunidades para discussões familiares sobre o abuso de substâncias lícitas ou ilícitas. Intervenções breves focadas na família podem mudar positivamente o comportamento dos pais, reduzindo, dessa forma, os riscos de abuso de drogas de seus filhos.

 

Programas Escolares

PRINCÍPIO 6

Programas de prevenção podem intervir já na pré-escola abordando, nesse caso, alguns fatores de risco para o abuso de drogas, tais como:

  • comportamento agressivo;
  • poucas habilidades sociais;
  • dificuldades acadêmicas.

 

PRINCÍPIO 7

Programas de prevenção para crianças do ensino primário devem visar à melhoria do aprendizado acadêmico e socioemocional, focando em fatores de risco para o abuso de drogas, tais como:

  • agressão precoce;
  • fracasso escolar;
  • evasão escolar.

 

A educação deve focar-se nas seguintes habilidades:

  • autocontrole;
  • consciência emocional;
  • comunicação;
  • resolução de problemas sociais;
  • e apoio acadêmico, especialmente na leitura.

 

PRINCÍPIO 8

Programas de prevenção para alunos do ensino fundamental ou ensino médio devem aumentar as competências acadêmica e social com as seguintes habilidades:

  • hábitos de estudo e apoio escolar;
  • comunicação;
  • relacionamentos entre colegas;
  • autoeficácia e assertividade;
  • habilidades de resistência à droga;
  • reforço de atitudes antidrogas, e reforço dos compromissos pessoais contra o abuso de drogas.

 

Programas na Comunidade

PRINCÍPIO 9

Programas de prevenção visam, nas populações em geral, a pontos-chave de transição, como, por exemplo, a transição para o ensino fundamental, podendo produzir efeitos benéficos, mesmo entre as famílias e crianças de alto risco. Tais intervenções não separam populações de risco e, portanto, reduzem a rotulagem e promovem a vinculação à escola e à comunidade.

 

PRINCÍPIO 10

Programas de prevenção na comunidade que combinam dois ou mais programas eficazes, como programas de base familiar e escolar, podem ser mais eficazes do que um único programa sozinho.

 

PRINCÍPIO 11

Programas de prevenção na comunidade que envolvam a população de várias maneiras, por exemplo, nas escolas, nos clubes, nas organizações religiosas e na mídia, são mais eficazes quando apresentam mensagens consistentes e amplas para toda a comunidade.

 

Entrega de Programa de Prevenção

PRINCÍPIO 12

As comunidades que adaptam os programas para atender às suas necessidades (normas da comunidade ou diferentes exigências culturais) devem conservar os elementos centrais da intervenção original baseada em pesquisa, que incluem:

  • estrutura (como o programa é organizado e construído);
  • conteúdo (as informações, habilidades e estratégias do programa) e
  • entrega (como o programa é adaptado, implementado e avaliado).

 

PRINCÍPIO 13

Programas de prevenção devem ser de longo prazo, com intervenções repetidas para reforçar as metas de prevenção original. Pesquisas mostram que os benefícios dos programas de prevenção de ensino fundamental diminuem sem o seguimento de programas em nível de ensino médio.

 

PRINCÍPIO 14

Programas de prevenção devem incluir o treinamento de professores para boas práticas no manejo na sala de aula, como reforçar o comportamento adequado dos alunos. Tais técnicas ajudam a promover o comportamento positivo dos estudantes, a motivação acadêmica e o bom desempenho escolar.

 

PRINCÍPIO 15

Programas de prevenção são mais eficazes quando utilizam técnicas interativas, como discussões de grupo com colegas e dramatização com os pais, o que permite a participação ativa na aprendizagem sobre o abuso de drogas e reforço de habilidades.

 

PRINCÍPIO 16

Programas de prevenção baseados em pesquisas podem ser custo-efetivos. De acordo com pesquisas anteriores, dados recentes mostram que para cada dólar investido em prevenção, pode ser vista uma economia de até 10 dólares em tratamento por abuso de álcool ou outra substância.